Niepołomice (português)

Niepołomice fica a cerca de 25 quilômetros do centro de Cracóvia. Além da cidade, o município consiste em doze aldeias: Chobot, Ochmanów, Podłęże, Słomiróg, Staniątki, Suchoraba, Wola Batorska, Wola Zabierzowska, Zabierzów Bocheński, Zagórze, Zakrzowiec e Zakrzów. O município tem uma área de 95 quilômetros quadrados, dos quais um terço é ocupado pela cidade. O município tem uma população de mais de 27.000 habitantes e metade deles residem em Niepołomice. A cidade está localizada na encruzilhada das maiores estradas: No. 4 do sul, No. 75 de Cracóvia para a Krynica, e rodovia A4 leste-oeste.

A cidade remonta ao século 13, portanto, os edifícios mais antigos foram construídos em meados do século 13 durante o reinado do Rei Casimir o Grande. A história de Niepołomice foi estreitamente relacionada com a corte real polonesa e visitas freqüentes dos monarcas ao castelo de Niepołomice.

Niepołomice é hoje um dos municípios que se desenvolvem mais rapidamente na Polónia. Devido à localização favorável, boa infra-estrutura e às iniciativas da autarquia, tornou-se num lugar onde mais de vinte grandes corporações, incluindo Coca-Cola, MAN, Royal Canin, Nidec ou Oknoplast, instalaram os seus investimentos. Além disso, há mais de 1500 negócios registrados em Niepołomice.

Niepołomice também proporciona inúmeras oportunidades de recreação tanto para seus residentes como para os moradores dos municípios vizinhos. A Floresta Niepołomicka, com área de 12.000 hectares de terra arborizada, é muito popular dentre praticantes de caminhada, corredores e jóqueis. A sua infra-estrutura bem desenvolvida atrai nadadores, jogadores de tênis, bem como entusiastas pelo futebol ou artes marciais.

 

Niepołomice – história

A história de Niepołomice está intimamente relacionada à história do castelo – residência de verão favorita de vários reis poloneses e muitas vezes considerado “o outro Wawel” – e à Floresta de Niepołomice – antigamente um terreno de caça real.

A data exata da fundação de Niepołomice é ainda desconhecida. A aldeia original surgiu com um assentamento fora dos muros do castelo de caça construído aqui em 1340-1349 pelo Rei Casimir, o Grande. Em 1350, a paróquia de Niepołomice foi fundada. Em outubro de 1358, foi consagrada pelo arcebispo Jarosław Bogoria Skotnicki na presença do rei. Nesta área, havia também uma pousada real que o rei presenteou ao primeiro pároco de Niepołomice quando a igreja paroquial foi consagrada.

O povoado começou a florescer sob o reinado de Ladislau Jogaila que aparentemente gostava de visitar Niepołomice. As visitas reais atraíram muitos convidados a quem alojamento e refeições tinham que ser oferecidos. De acordo com o censo de 1564, a aldeia de Niepołomice possuía 200 habitantes, incluindo 11 camponeses livres, 17 estalajadeiros, 5 oleiros e vários silvícolas florestais que protegiam as florestas reais.

Niepołomice recebeu os direitos cívicos após a divisão da Polónia. Em 11 de abril de 1776, as autoridades austríacas estabeleceram aqui escritórios de direcção das propriedades do estado, o tribunal distrital, escritórios aduaneiro e fiscal e também uma grande praça de mercado. A cidade recebeu um brasão: castelo branco, com cinco janelas e um esboço do portão, com o apoio de ambos os lados por dois grifos dourados de frente um para o outro, em um escudo azul. Nos anos entre guerras o brasão transformou-se em um escudo oval com uma águia coroada e a inscrição “A cidade de Niepołomice”. No entanto, o brasão atual foi inspirado na versão original.

Como Niepołomice tornou-se um local importante a leste de Cracóvia, foi integrada, em meados do século 19, ao sistema ferroviário da Galiza que conectava Cracóvia à Dębica e Lwów.

Em 1888, Władysław Wimmer foi eleito prefeito da cidade. Ele ganhou a reputação de ser um administrador capaz, construtor e fabricante de excelentes telhas que até hoje podem ser vistas nos telhados de muitas casas em Viena e Berlim.

Logo após o fim da 1ª Guerra Mundial, os austríacos deixaram Niepołomice. Para comemorar, os habitantes da cidade plantaram o Carvalho da Liberdade no dia 7 de novembro de 1918.  O carvalho encontra-se ainda hoje no Parque Municipal.

Após a 2ª Guerra Mundial, a cidade ficou em estado de calamidade. Muitos habitantes perderam suas vidas durante a guerra e a atividade econômica piorou consideravelmente. Somente após a construção de Nowa Huta no final dos anos 50, Niepołomice começou a se desenvolver novamente.

Com o fim da era comunista, a cidade de Niepołomice passou a ser governada por representantes eleitos em eleições democráticas. Em 7 de junho de 1990, a Câmara Municipal elegeu Stanisław Kracik como prefeito. Em 1993, tornou-se o primeiro habitante de Niepołomice a ganhar um assento no Parlamento polaco. Seu mandato marcou o início de um rápido desenvolvimento da cidade. Hoje, Niepołomice tem uma população de 27.000 habitantes e é considerada modelo de boa gestão.

 

Câmara Municipal
A sede de Câmara Municipal em Niepołomice, em estilo neo-gótico, foi construída em 1903 por um famoso arquiteto Jan Sas-Zubrzycki.
A construção foi encomendada pelo então prefeito Władysław Wimmer. O edifício de dois andares, do tijolos vermelhos – com seus pináculos e arcos e uma torre poligonal, coberto com um telhado em forma de pirâmide – é um dos edifícios mais notáveis ​​da cidade. Em 2003, sua fachada foi cuidadosamente restaurada para o 100º aniversário da construção. Na parede interna da arcada há uma placa comemorativa de um dos cidadãos mais eminentes da cidade – o Brigadeiro General Walerian Czuma.

 

Castelo Real

A construção de um castelo de pedra em Niepołomice foi iniciada em meados do século XIV por ordem do Rei Casimir o Grande. Logo tornou-se a residência favorita do rei, mas seu auge veio com o reinado de Vladislau II Jagielão (Władysław Jagiełło). Era um lugar de reunião do conselho real, um lugar onde as decisões judiciais foram tomadas ​​e onde foram realizadas caçadas reais para os hóspedes estrangeiros. Em meados do século XV, Vladislau III de Varna (Władysław Warneńczyk) entregou o castelo em penhor. O castelo permaneceu nas mãos das famílias Czuryło, Branicki e Lubomirski até o final do século XVIII.

Em 1506, Sigismundo I o Velho (Zygmunt Stary), ordenou que o castelo fosse reconstruído. O castelo recebeu a forma renascentista atual sob o reinado de Sigismundo Augusto (Zygmunt August). Em meados do século XVII, a invasão sueca pôs fim à era de ouro da residência real. Em 1655, as tropas suecas saquearam Niepołomice, destruíram a igreja paroquial e transformaram o castelo, severamente danificado, em um depósito de forragem. Após a partição da Polônia em 1772, o castelo ficou sob domínio austríaco. Os austríacos converteram-no em quartel do exército e removeram parte do 2º andar. No período entre guerras e após a 2ª Guerra Mundial, era um edifício público. Abrigou apartamentos municipais, uma central telefônica e até mesmo uma sala de parto. Em 1991, tornou-se propriedade do município de Niepołomice que, por sua vez, financiou a renovação.

Os trabalhos de renovação foram muito amplos e onerosos. Além de renovações estéticas, toda a estrutura do edifício precisava ser fortalecida e seca. Bonitos detalhes arquitetônicos renascentistas que adornam as janelas, quartos e portão de entrada foram todos minuciosamente restaurados, assim como o pátio florido, que ainda continua a surpreender turistas e convidados. Hoje, o castelo serve como um centro cultural e de negócios. É um local para concertos, exposições, conferências, casamentos e banquetes. No sótão, há um hotel de 3 estrelas com 24 quartos. O castelo também abriga o Centro de Conferências Lech Wałęsa.

 

Igreja paroquial

A igreja paroquial é o edifício mais antigo de Niepołomice remontando às origens da cidade. Foi fundada em 1350-1358 pelo Rei Casimir o Grande e consagrada em 4 de outubro de 1358.

Originalmente o templo tinha uma nave com uma abóbada sustentada por dois pilares centrais. A capela-mor com longas e estreitas janelas góticas e a “velha sacristia” são os únicos remanescentes do edifício original.

Em 1690, após um incêndio, a igreja foi reconstruída. Os pilares centrais foram removidos e a abóbada em estilo gótico foi substituída por uma barroca. As entradas em forma de lanceta para as capelas laterais foram convertidas em arcos feitos em “mármore de Dębica” preto.

No final do século 18, a igreja passou por algumas mudanças importantes no seu interior, tais como a adição de decorações de estuque retratando o Jardim do Éden, Moisés com tábuas do Decálogo e os evangelistas São João e São Lucas nas paredes internas.

Vale a pena mencionar também as capelas de cada lado da nave principal. No lado sul, encontra-se a Capela de Nossa Senhora, também conhecida como Capela da Família Branicki. Essa capela for construída em 1596 em estilo renascentista. Do outro lado encontra-se a impressionante Capela St. Carolus Boromeus, em estilo barroco, fundada por Stanisław Lubomirski em 1640. O cardeal Karol Wojtyla, futuro papa, tinha preferência especial por esta capela, porque St. Carolus Boromeus era seu santo padroeiro. Um mosaico de 25.000 peças retratando o papa João Paulo II foi colocado ao lado da igreja no 650º aniversário da consagração do templo.

 

Montículo de Grunwald

Segundo a Crônica de Jan Długosz, em 11 de novembro de 1411, um ano depois da batalha de Grunwald (1ª Batalha de Tannenberg), o Rei Ladislau Jogaila chegou a Niepołomice e realizou uma inspeção do seu exército no dia 25 de novembro antes de seu retorno triunfante para Cracóvia.

Em 1902, um pequeno montículo foi erguido em cima do Monte Wężowa em homenagem às crianças de Września. Oito anos mais tarde, membros da Associação de Ginástica “Sokół” (“Falcão”) tomaram a iniciativa de restaurar o montículo para comemorar o 500º aniversário da batalha de Grunwald. Originalmente, o montículo teria 6 metros de altura, mas o entusiasmo com que a ideia foi recebida foi tão grande que a equipe resolveu  aumentá-lo para 14 metros de altura e 30 metros de diâmetro. Após a conclusão dos trabalhos de construção em 1915, um obelisco de concreto foi colocado no topo do montículo.

O topo do montículo oferece uma excelente vista panorâmica da Zona Industrial de Niepołomice e de Cracóvia, em segundo plano, no horizonte.

 

Floresta de Niepołomice
A Selva de Niepołomice ocupa uma área de cerca de 120 quilómetros quadrados entre os rios Vístula e Raba que torna-a o sétimo maior complexo florestal na Polónia. É apenas um pequeno remanescente da floresta primitiva que uma vez estendia-se desde Grzegórzki em Cracóvia até a Floresta de Sandomierz atual.

O nome “Floresta de Niepołomice” é provavelmente derivado da antiga palavra polonesa “niepołomny”, que significava “intransitável” ou “indestrutível”. Por isso, pode-se supor que a floresta original era muito densa e impenetrável.

Até 1393 a floresta era chamada “Floresta Kłaj” ou “Gran Floresta”. Como naquela época na sua extremidade sul ficava uma aldeia de Kłaj, é quase certo que esta aldeia era o centro de administração de florestas reais e terrenos de caça dos quais a  Floresta de Niepołomice era uma parte.

A “Floresta de Niepołomice” foi mencionada pela primeira vez num documento de 1393, mas o nome atual “Selva de Niepołomice” foi usado pela primeira vez em 1441.

Nos séculos seguintes, os recursos da floresta foram indiscriminadamente explorados, o pior período sendo o século 20. Durante as duas guerras mundiais, a população animal diminuiu consideravelmente e a acantholyda nemoralis (um dos insetos parasitas mais perigosos) causou estragos entre as árvores. O dióxido de enxofre e de outros poluentes da Usina Siderúrgica de Lenin construída nas proximidades em 1950 agravou a destruição.

Desde 1972 todo o complexo florestal é supervisionado pelo escritório da Superintendência Florestal de Niepołomice. Graças aos contínuos esforços de muitas pessoas, a Selva de Niepołomice está a recuperar sua antiga glória. Duas partes da selva foram declaradas sítios de Natura 2000. Há muitos caminhos e trilhas eqüestres, bem como 7 km de ciclovias.

 

Turismo

Entre as atrações turísticas de Niepołomice, o mais proeminente é o Castelo Real. O seu interior renovado oferece um local para concertos, exposições, apresentações teatrais, dentre outros. Outro lugar de interesse é o Convento Beneditino em Staniątki fundado em 1216. Um sítio imperdível no mapa turístico de Niepołomice é a Paróquia dos Dez Mil Mártires. Em 2008, comemorou o 650º aniversário da sua consagração. O turista também não deve deixar de visitar o Montículo de Grunwald que marca a ligação histórica entre o rei Ladislau Jogaila e Niepołomice.

O castelo abriga também o Museu de Niepołomice, que conta com uma exposição interessante das pinturas e esculturas – obras de famosos artistas poloneses e também de artistas da Europa Ocidental. È possível visitar também a capela do Castelo. O museu apresenta também mais de 100 slides e fotografias de natureza doados pela família de Włodzimierz Puchalski, um renomado fotógrafo polonês de paisagens naturais. A outra exposição mostra os animais que viviam nas florestas de Niepołomice e troféus de caça.

Perto do Castelo há o Museu Fonográfico com uma exposição permanente que conta a história da gravação e reprodução de áudio.

Quando em Niepołomice, não deixe de fazer uma visita à Floresta de Niepołomice, o sétimo maior complexo florestal da Polónia. A floresta que cobre uma área de 12.000 hectares, oferecendo muitas trilhas de caminhadas e ciclismo.

 

Economia

Niepołomice não se resume a uma floresta velha, bisontes ou ao seu passado glorioso. O orgulho da cidade também são os grandes e espetaculares investimentos empresariais que fornecem empregos não só para a população local, mas também a muitos habitantes de aldeias vizinhas. O rendimento das receitas fiscais locais constituem a principal contribuição para o orçamento do município. Graças a esses fundos e à assistência do setor empresarial, programas de investimento a longo prazo podem ser planejados e eventos culturais podem ser organizados.

Desde 1990 nosso município vem realizando uma política ativa de aquisição de investimentos. Boa localização, infra-estrutura e atmosfera são as razões pelas quais os empresários estão dispostos a investirem na cidade. Desde 1992 Niepołomice tem atraído um número considerável de grandes empresas e corporações industriais, tais como Coca-Cola, HMS (agora Staco), Oknoplast (maior fabricante de janelas da Polónia), Royal Canin (produtor de alimentos para animais), Nidec (fabricante de micromecanismos para o setor automotivo) ou DHL (famosa empresa alemã de logística internacional e correio espresso). O sucesso maior veio com a abertura da planta de MAN (uma das maiores fabricantes mundiais de veículos comerciais).

Atualmente, a Zona Industrial de Niepołomice, juntamente com duas zonas industriais menores em Ochmanów e Wola Batorska, ocupam uma área de mais de 500 hectares.

No entanto, a paisagem econômica de Niepołomice não se resume apenas às grandes empresas. Além delas, existem mais de 1.300 médias e pequenas empresas: lojas, prestadores de serviços, bancos e produtores em pequena escala que, juntas, fornecem uma fonte considerável de renda e proporcionam muitos postos de trabalho.

 

Desporto

Em Niepołomice, todos os entusiastas por desporto podem encontrar algo a seu gosto. Pode-se escolher entre uma grande variedade de instalações desportivas, clubes e sociedades.

Os nadadores tem a oportunidade de aprimorar suas habilidades na piscina. Existem 10 clubes de futebol e o mais bem sucedido deles é Puszcza Niepołomice que joga na Primeira Divisão. Aficcionados por artes marciais podem praticar karaté, judo, boxe tailandês ou kung fu. Há aulas de aeróbica, fitness, dança ou ginástica. Pode-se também jogar na Liga de Futebol de Salão ou na Liga de Vólei. Existe um parkour e um hipódromo com estábulos para aqueles que gostam de fazer passeios a cavalo. Os golfistas, jogadores de bridge e pescadores também podem praticar seu esporte favorito.

Os interessados ​​em atividades de lazer como o ciclismo não ficarão desapontados. A Floresta de Niepołomice é o lugar ideal para andar de bicicleta.